quinta-feira, junho 04, 2009

A humanidade não é uma ilha, dizem.
Eu digo que sim, acobertados pelos status quo, arrastamos insipidamente a carcaça com pressupostos adjectivados. De quando em vez esticamos o tentáculo para alimentar o estômago, o ego, a vaidade.
E temos pena, não piedade, daquele que se deita na calçada suplicante ao contorná-lo rapidamente.
A dor é pegajosa e imunda.
Ao chegar a casa uma vez mais percebemos que, a nossa pobreza não está nos zeros do cartão de crédito, mas sim no nosso triste espírito egocêntrico.

10 comentários:

  1. Vais arranjar muitos amigos com esse feitio, gaja...
    Tás bem?
    Agora que uso o Google Chrome já posso vir aqui sem levar com o pop-up pirata!
    Sou um utente feliz.

    ResponderEliminar
  2. a humanidade
    é
    uma
    atlântida
    afundada
    é
    uma depressão
    no leito
    do oceano

    ResponderEliminar
  3. as ilhas são as pessoas que as criam nas suas vidas. e os espíritos egocêntricos.... bem... é tão mais fácil para mim reconhecê-lo nos outros! ;)

    ResponderEliminar
  4. mas tu regressaste pessimista, mulher!

    ResponderEliminar
  5. Pois...

    Nem sempre se consegue ter capacidade para abranger tudo o que nos rodeia... diria que ninguém tem... mas há sempre alguns mais frios e vazios que outros... enfim!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Gostei de te reencontrar neste preciso post.

    ResponderEliminar
  7. Eu quero é o teu contentamento, SharK
    ;)

    ResponderEliminar
  8. Fabulosa, eu não regressei pessimista...
    Infelizmente sou apenas , realista ;)

    ResponderEliminar
  9. Nanny, kisse para ti também :)

    ResponderEliminar
  10. mfc, olha que saudades!

    ResponderEliminar