sexta-feira, dezembro 01, 2006

(Semi )Elipse


Anda cansada mulher que se custa a aceitar no lugar, feita de impulsos travados e na pena escritos, pena na mão e pena no lado de dentro do peito, a vida a correr e ela a dar aos meninos a aprender tão cansada que está, mulher flor fechada que se deixa regar aos bocadinhos curtos que são bons demais e podem acabar não se pode deixar apanhar, mulher luar na ponte e no rio e no ventre que foi fecundo, e tanto que dá e deu e dor e lamento e a casa a ficar calada, e a mão na mão dele e o corpo sequioso que precisa de se abrir e rir e deixar ir para longe aquilo que não quer esquecer, mas tem que ser, e vai quer queira ou não um dia deixar a chama ave aprisionada levantar voo para fora do peito.

Nem que eu tenha que a arrancar com as mãos nuas, Elipse mulher baralho.

imagem daqui

12 comentários:

  1. Vou guardar a imagem que tu viste.
    E deixo um beijo festivo. :))

    ResponderEliminar
  2. JP:

    Muito bonita esta prosa poética! Fez-me lembrar um pouco o estilo de António Gedeão. Se lermos evidentemente ao rítmo com que aquele poeta escreveu e declamava por exemplo a: "Calçada de Carriche". Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. É isto,
    Muita gente vive como auto-prisioneiros de si mesmos. E ainda escutam o tilintar das chaves do carcereiro nos finais de tarde. No entanto este atitude, na maioria das vezes ela é totalmente involuntária, porque ela dói, é mesmo como uma pena. O que essas pessoas, por sorte têm de fazer é descobrir um jeito, de aos poucos indo se libertando, como quem cava um túnel que dá para a rua.
    Um dia mais uma ave voa, mais um canto se ouve e é dela.

    Um beijo

    Naeno

    ResponderEliminar
  4. Ela é bem isso que dizes...e é também formidável!

    ResponderEliminar
  5. guarda, guarda e usa.
    parabéns amiga,e beijos


    A luisa sobe a calçada não é Soslayo?
    Agora que o dizes...até parece.
    beijo


    É verdade Naeno, triste é a prisão a que nos sujeitamos, aprender a quebrar gavinhas é recomeçar.
    Obrigado pela visita
    bjo

    ResponderEliminar
  6. claro que é mfc, por isso lho escrevi
    ;-)

    ResponderEliminar
  7. Esta imagem está estruturada num ponto de fuga, chamar-lhe-ia antes um ponto de encontro.
    Ponto de Encontro, Ponto de Encontra-te, Ponto de Encontro

    ResponderEliminar
  8. e não começa tudo num ponto de fuga, erecteu?
    o ponto de encontro só se dá, quando do ponto de fuga se procura o ponto de encontro.
    ponto de fuga, ponto de encontro, ponto de fuga e encontro.
    ;-)

    ResponderEliminar
  9. Ah, ah.. apanhei-te à espreita lá do outro lado :)

    ResponderEliminar
  10. upss...foi o meu lado cusca
    :-)

    ResponderEliminar
  11. Belo e acutilante... que hei-de dizer mais!?...
    Que buscando te encontras naquelas que ainda nem sequer se sentiram perdidas... mas hão-de voar, um dia...

    Bem hajas...

    ernani balsa

    ResponderEliminar
  12. Obrigado Ernani, é sempre um gosto ter-te por aqui
    :-)
    e bem hajas também, que é um cumprimento bonito

    ResponderEliminar