quarta-feira, julho 12, 2006

Perguntaram-me se sou uma mulher de extremos. Sou. Ando tempos infindos num misto de abnegação ou mera estupidez, dizem-mo, a enrolar e a desenrolar meadas complicadas. Um género de primeira, segunda e marcha-atrás. Todos temos tempos diferentes. O meu, é simplesmente uma desaceleração contínua. Orgulho de cavaleiro armado, que mesmo com a armadura borrada, mantêm erecta a coluna em cima do cavalo.
Como um boneco teimoso, abano, abano, até estar perfeitamente firme. Convicções. Cartilha interna esfiapada.
Depois da meada esticadinha e sem nós, abro a gaveta e guardo. Ou consoante as hormonas que me banham, atiro tudo ao ar e, quem se enforcar na queda teve azar. Lamentamos, volte na próxima.
Se me arrependo? Muito pouco. Seguindo os cinco passos de descida, com os espaços aéreos compensados, não custa nada. E mesmo que o mar me pese tenho ar de sobra a insuflar-me o 2º estágio. Nada se compara. Absorve-se.
Cá fora os meia dúzia de filhos da puta que me tentaram fazer a folha, engasgam-se no próprio cuspo.

8 comentários:

  1. PALMAS!

    Como eu gostava que acontecesse tudo isso a outros filhos dessa mesma senhora que querem fazer-me tal como a ti tentaram...

    ResponderEliminar
  2. Vais ver que acontece.
    Deixa-os poisar Pati...
    bjo

    ResponderEliminar
  3. ........... só meia dúzia?!

    olha que sorte que tu tens!!! :))))


    deixo um abraço dos tais... de amizade, de incentivo, de apreço... :)

    I.

    ResponderEliminar
  4. e que bons que são!
    e à meia dúzia é mais barato,tu sabes
    ;-)
    Abraço apertadinho amiga

    ResponderEliminar
  5. Nunca procurei vingar-me de ninguém. Também nunca foi preciso. O destino, que dá sempre muitas voltas, pôs-me sempre no camarote em frente ao espectáculo infeliz de ver qualquer fdp que me tenha tentado tramar a dar com os burrinhos na água. E ainda me deu a possibilidade de estender a mão ou deixá-los afogarem-se nesse tal de cuspo. Por motivos talvez muito idiotas, mas que só a minha consciência um dia poderá explicar decentemente, estendi sempre a mão...

    ResponderEliminar
  6. tb já o fiz,estender-lhes a mão, fiquei cheia de cuspo
    aprendi.
    coisas
    ;-)

    ResponderEliminar
  7. Fónix, pá, isto é o que eu chamo uma resposta esclarecedora!
    Até pelo cariz "extremista", bem vincado na frase de encerramento que, de resto, me deixou cheio de vontade de nunca conhecer o extremo errado dessa recta que te representa... Glup e mais glup! :)
    És uma pessoa gira, pá.

    ResponderEliminar
  8. Obrigado shark, pá!
    ;-)

    ResponderEliminar