sexta-feira, junho 16, 2006

Chuvas de início de verão

Na ida, como um jogo de pião, achei que o tempo estava a meu favor. Que iria assim tolerar a aspereza da terra, a secura do ar, os sentimentos embutidos e suspensos.
A trovoada circundava lenta os separadores, as casas vestiram-se de branco nauseante, e as serpentinas dos ares condicionadas, mostravam-me as línguas sibilantes.
Tudo como dantes. O tempo revisitado esvaído nas espirais do fumo do cigarro. O tédio.
Fui-me lembrando da frase, nunca subestimes a estupidez humana, enquanto tentava arranjar conforto no banco de madeira.
A dança das batinas iniciou o rodopio, ao som dos sussurros e dos gestos agressivos de mãos e dedos espetados.
E o tempo cego.

A vida a correr e os meninos a aprender, salta a pulga pequenina, um dois três, macaquinho do chinês, quem mexeu perdeu!

- Os senhores podem entrar por favor…
- Dentro de dez dias, será averbado na Conservatória do Registo Civil, o vosso novo estado civil.

Trovejou ferozmente nesses dias. A água lavou mansa o pó dos carros.
A alma não conseguiu abrir a gabardina, e deixou-se ficar para ali encolhida.

10 comentários:

  1. Agora respira fundo.

    Um beijo carinhoso para ti, miúda!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Elipse, estou a respirar :-)

    ResponderEliminar
  3. JP:

    Uma chuva um pouco fora de época. Foste à Conservatória do Registo Civil? E qual é o novo? Já não era sem tempo... Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. Não. Não fui à conservatória,Soslayo. O novo será de divorciada.E sim, já não era sem tempo.
    Beijo

    ResponderEliminar
  5. A chuva já vai embora, o sol há-de voltar :)

    ResponderEliminar
  6. Como depois de uma injecção: já passou! :)
    E agora, anda ver o sol que vem chegando. :)

    ResponderEliminar
  7. Deixa que a chuva te molhe. E te lave a alma. Está na hora de deixar ir com as águas da chuva tudo, deixar que a enxurrada acarte o que já estava a mais...

    ResponderEliminar
  8. Deixo-te só um beijo e a recordação de que estou aqui por perto com uma toalha especial para almas molhadas.

    ResponderEliminar
  9. Minhas queridas meninas
    (Alcofa,Maria,Hipatia e Bigodes) :-)
    o sol está cá dentro, como a Vanus escreveu um dia destes.
    Só assim consigo manter a minha capacidade de amar
    (esta saiu foleira,mas nem queiro saber)
    Beijo-vos

    ResponderEliminar
  10. Mal ou nada te conheço... apenas te sei pelo que leio da tua alma aqui exposta... mas sei que és uma pessoa e as pessoas são o mais importante, muito para além dos estados civis, dos averbamentos das conservatórias ou dos desencontros afectivos que todos nós experimentamos... por isso te saúdo na tua nova roupagem de flor renascida e água refrescada pelo novo dom de vida que agora recebeste... o melhor parta ti e olha o sol que agora nasce mais brilhante do que ontem... com certeza que já reparaste!...

    ernani

    ResponderEliminar