segunda-feira, março 12, 2007

Galeria IV

Ás 15,32h atravessou várias passadeiras curvada pelos sacos do mini preço, a mochila escolar meio cambada presa por um dos apoios, o casaco dela e o casaco do puto mais novo contra a axila direita, e a mala de mão enganchada na rosa meio murcha que lhe tinham atirado literalmente para a mão à uma hora atrás no supermercado.

Feliz dia da mulher repetiram-lhe toda a manhã e ela agradeceu e tudo e só pensava para que queriam as mulheres esse dia que até era igual aos outros todos mais um de lava e esfrega e faz de mula e de ama e cozinheira e ainda por cima o homem logo até por andarem por aí a dizer que este é um dia diferente até vai dar-lhe mais que os dois beijos habituais antes da coisa com a barba por fazer e com cheiros de todos os sítios por onde andou.

De manhã ao levantar-se perto das 6,00h, ao olhar de cabeça à banda a rosa deslavada, deixou esturricar as torradas, atirou-a com raiva pela janela da cozinha e, ficou ali encostada a ver o gato a esfarelá-la.

16 comentários:

  1. Há dias assim querida, com flores ou sem elas.
    Mas é só o post, eu ando bem obrigado
    ;)

    ResponderEliminar
  2. e mai nada ! E viva o neo-realismo! Caramba, que esta lambada até doeu!

    ResponderEliminar
  3. talvez a realidade doia...

    ResponderEliminar
  4. Que retrato bem esgalhado da maioria das mulheres deste país. :)

    O que não entendo é porque até nesse dia elas continuam a fazer o mesmo, sem exigir nada. Sem exigir que pelo menos nesse dia tenham direito a algo mais que beijos e flores. Será exigir muito?...

    ResponderEliminar
  5. É verdade Maria Árvore, desculpa meter-me assim na conversa, sem me ter apresentado nem nada, mas é um facto.

    Mas o que eu entendo menos ainda é quie continuem a aceitar comportamentos que raiam a barbaridade como agressividade quer física quer psicológica - e eu estou a referir-me a um caso concreto de uma pessoa que é financeiramente independente - só para terem a companhaia de alguém.

    O pior de tudo é que acabam por isolar-se dos amigos, o companheiro mais que tudo não deixa a pessoa em questão estar um minuto a sós na companhia de uma amiga.

    Isto é que eu não entendo como é que as mulheres não se revoltam.

    Não se afirmam.

    Custa um pouco no início mas depois as coisas entram nos eixos. E, se não entrarem é caso para pensar se vale a pena continuar com aquela pessoa...


    CSD

    ResponderEliminar
  6. JP:

    Co diabo então ele nem a barba fez para um dia especial... mas quando se ama vai mesmo com todos os odores, ou não? Parabéns pelo teu dia JP. Um beijinho.

    ResponderEliminar
  7. A Problogs, Inc. já chegou aPortugal!

    Vem fazer parte da maior Blog Network no planeta!

    Até já...

    ResponderEliminar
  8. mais um excelente texto, que espelha bem o estado de alma de muitas mulheres nesse dia (e noutros...)

    ResponderEliminar
  9. foi lambada de luva Rosarinho
    ;)

    ResponderEliminar
  10. a realidade é lixada psique.

    ResponderEliminar
  11. Sabes marie o que é o desleixo pelo respeito próprio?
    Pois é isso.

    ResponderEliminar
  12. Beijinho Soslayo, mas ficas a saber que o meu dia são todos os outros, não este ;)

    ResponderEliminar
  13. É assim mesmo Ameixaclaudia!
    E como escreveu a Rosário, e mainada!

    ResponderEliminar
  14. Iva...bem aparecida
    ;)
    e obrigado pá.

    ResponderEliminar
  15. Subscrevo...


    é REALMENTE



    desleixo pelo respeito próprio!

    Nem mais!


    Abaixo o 'cinzento' dos dias das mulheres assim!





    Fica um abraço.
    I.

    ResponderEliminar