segunda-feira, março 07, 2005


Hoje sonhei-me rio, naquele rio verde e largo de ilhas fechadas, cercadas de amoras pretas e grenás quentes no meio da tarde tão doces... Reconheço as pedras macias seixos rebolados, onde o limo se deposita ao de leve, e foge na corrente quando lhe toco. Sorrio de descoberta egoísta -olha esta rolou um bocadinho.
O morno da água nos pés dos juncos, onde espreito as galinholas dormentes de sesta, tal qual sapo muito quieta de olho pisco, nas cores de todas as cores volteadas nas gotas deixadas pelas libelinhas.
E depois, a água fresca borbulhante que se escapa pelo dique em pedras lisas e frias, e as pernas a deixarem-se ir e a gostar.
E o sol em todo o lado e dentro das ilhas, e a clareira de areia cama de sonhos.
Ontem sonhei-me rio e acordei com um aperto de saudades.
Posted by Hello

4 comentários:

  1. JP, bonito texto gostei. O sonho comanda a vida e vivendo sonha-se

    ResponderEliminar
  2. O sonho, foi meu muitos anos, agora o rio cresceu e já não tem aquelas ilhas.
    Mas as ilhas ainda são minhas enquanto viverem cá dentro. e claro, como dizia o poeta " o sonho comanda a vida"
    Obrigado soslayo.

    ResponderEliminar
  3. Bonito post!

    Saudaçoes desde Espanha!

    ResponderEliminar
  4. Obrigado Danir.
    Saudações para ti também :-)

    ResponderEliminar